Victoria’s Secret posta fotos das angel’s novinhas!

A marca Victoria’s Secret, para celebrar os 14 anos da linha VS PINK! resolveu compartilhar fotos antigas das angels: Behati Prinsloo, Candice Swanepol, Elsa Hosk e Miranda Kerr. 

candice-Swanepoel-angel

elsa-hosk-angel

miranda-kerr-angel

As Angels tinham entre 18 e 19 anos nessas foto, hoje têm 28 e 29 anos e elas continuam lindas, e você o que achou, mudaram muito?

FacebookTwitterGoogle+LinkedInCompartilhar

Gisele Bündchen irá desfilar na abertura do Rock in Rio

Gisele Bündchen (Foto: Divulgação)

Olha o babado modeletess!! Não é só de estrelas do rock, pop e outros ritmos musicais se faz um Rock in Rio memorável. Na edição 2017, a 7a em solos brasileiros, Gisele Bündchen também é atração confirmada e superaguardada!

Não, a über model não vai colocar a voz pra jogo e dar uma palinha em algum show. Ela irá fazer uma das coisas que sabe de melhor: desfilar. Ainda que tenha se aposentado oficialmente das passarelas em 2015, a loira abre exceções quando as causas são nobres. E essa é!

Gisele Bündchen para o Rosa Chá (Foto: Reprodução/Instagram)

 

Na sexta-feira (15.09), durante a cerimônia de abertura do festival, Gisele vai cruzar o Palco Mundo carregando uma bandeira gigante do Amazonia Live – projeto social do festival, que promete plantar 1 milhão de árvores em 400 hectares de área desmatada da Floresta Amazônica.

Tudo isso vai acontecer assim que a Cidade do Rock, no Recreio dos Bandeirantes, Rio de Janeiro, abrir as suas portas. No planejamento do evento, que acaba de ser divulgado, aviões da Esquadrilha da Fumaça farão uma apresentação especial lançando fumaça colorida – verde e amarela para homenagear o Brasil, azul e vermelha, que sáo as cores do Rock in Rio e branca para pedir a paz. Na sequência, Gisele faz a sua arte. Ficaremos de olho!

Fonte da matéria: http://vogue.globo.com/moda/moda-news/noticia/2017/09/gisele-bundchen-ira-desfilar-na-abertura-do-rock-rio.html

Minha primeira vez na passarela

Não existe nada que dê mais frio na barriga do que pisar na passarela pela primeira vez, aquele medo de fazer tudo errado, de tropeçar no salto, o que as pessoas vão achar de você, quanto tempo ficar lá na frente, para qual câmera olhar ou se não olhar, enfim, nesse momento rola mil e uma dúvidas na nossa cabeça e comigo não foi muito diferente, aliás pensem em um desfile em que deu tudo errado. Começou na prova de roupa, era um desfile de noivas de uma estilista super conceituada e lá estava eu, com o vestido pronto para os ajustes e logo veio a estilista com todos aqueles alfinetes, eu morrendo de medo de ser pinicada e pá, aconteceu! foi super rápido, logo ela pediu desculpas e eu relevei mas não via a hora de acabar todos aqueles ajustes e quando saí de lá bateu até um alivio! rsrsrs. No dia do desfile, já toda produzida no reboco (maquiagem), um pouco antes de começar o desfile as modelos começaram a colocar os vestidos, e o que acontece? O meu vestido ainda estava um pouco largo na parte de cima (busto) e para completar, ele estava longo demais para mim, mesmo usando o salto, que por sinal, era 1 número maior que meu pé. Diante de toda essa situação eu ganho a notícia de que eu iria abrir o desfile, estava muito feliz de poder abrir o desfile mas estava muito nervosa por conta de ser o meu primeiro desfile e estar com o vestido caindo, a barra do vestido pegando no meu pé e o sapato de salto alto largo, afinal, tem mais alguma coisa para dar errado? Para finalizar, eu sou míope. Não é qualquer míope não, naquela época eram 6 graus de míopie mas eu não usava lentes de contato, então imagina a situação! rsrsrs chega a ser engraçado mas passei muito nervoso. E então chegou a hora do desfile, tremia por dentro e por fora tentando me conter pensando “tudo bem, vai dar tudo certo” apesar de estar dando tudo errado, quando desfilei enchi o peito de ar (para o vestido não cair) e fui, desfilei devagar para o vestido não pegar no sapato e eu tropeçar, era tanto flash que vinha dos fotógrafos que acho que mesmo que eu estivesse enxergando bem não ia fazer muita diferença rsrsrs, por fim deu tudo certo! O desfile foi um sucesso e eu me apaixonei pela profissão, levei tudo isso como aprendizado, cada trabalho que faço é algo novo que aprendo e cada dia que se passa tenho cada vez mais certeza que fiz a escolha certa em escolher ser modelo, pois é isso que amo fazer.

We love Gisele

E hoje, o post vai em homenagem todo a ela, a Nº1 GISELE!
Gente, o que dizer dessa mulher? Como modelo, imagino tudo o que ela deve ter passado para chegar onde chegou, e com certeza, com muito mérito! Diferente do que as pessoas pensam, ser modelo está muito além de um rosto bonito e uma vida de glamour, aliás de glamour é só nas fotos e desfiles, por trás do backstage acontecem muitas coisas, para estar alí é preciso muita dedicação e persistência, pois o que mais escutamos é: NÃO, em castings (testes), agências, fora as exigências. Estar sempre com medidas em dia e o corpo saudável, muitas meninas acabam se perdendo no caminho por conta dessas exigências, é necessário ter muito foco nessas horas, e sempre dizer para si mesma: sou capaz disso, posso fazer melhor que isso. E é isso que a Gisele sempre fez, sempre foi 100% em tudo aquilo que ela faz, independente do que os outros falavam e isso a tornou diferente, confira abaixo uma entrevista dela:

Maravilhosa não é? Mas Maravilhosa mesmo foi ela desfilando nas aberturas das olimpíadas em 2016, já aposentada das passarelas, abriu uma exceção para esse momento único que deixou um país todo emocionado, confira:

Gisele ficou como a modelo nº1 mais bem paga do mundo durante 10 anos, ganhando milhões de dólares a cada ano que se passava, desfilando e sendo o rosto das maiores grifes, ela inovou o andar na passarela e hoje com certeza é a maior inspiração de muitas modelos que querem seguir seus passos. Parabéns Gisele! ♥

10 dicas para decolar na carreira de modelo

1. Menos glamour, mais foco
Existe o glamour na profissão, mas isso vem depois de muito trabalho. “O foco é essencial. Gisele, Alessandra e Carol abriram mão de namoradinhos na adolescência porque precisavam trabalhar”, conta. Aulas de interpretação, idiomas e passarela são bem-vindas.

2. Checar credenciais de agências
Se uma agência entrou em contato, use a internet ao seu favor. “Cheque todas as informações do lugar. Pergunte quem são as pessoas”, aconselha. “Muita gente já tentou se passar por mim, por exemplo, por isso, se ficou na dúvida, ligue para a empresa para saber se realmente tem algum recrutador na cidade”, explicou.

3. Não faça book
Desconfie de quem já exige o book. “Um candidato não precisa dele em um primeiro momento”, diz. Segundo Stein, o que as agências pedem são fotos tipo Polaroid e o mais natural possível. “É até melhor mandar aquelas caseiras. Sem maquiagem, sem penteados. Eles vão analisar os traços e eles precisam estar destacados”, explica. Só depois de aprovada, a candidato precisa pagar pelo book.

4. Tenha atitude
Tenha atitude e mostre-se interessado. “É preciso mostrar convicção”, diz. Nada vem de graça. Para entrar no mercado, existe um custo e até mesmo as modelos precisam fazer investimento financeiro.

5. Aja com naturalidade
Não adianta tentar impressionar. Quem trabalha com o negócio sabe muito bem o que ele exige e sabe o que procura em uma candidata. “Quanto mais natural, mais fácil do scouter enxergar o jovem e saber se ela tem condições ou não de seguir em frente”.

6. Não basta ser pai…
Os pais também precisam participar da carreira. O papel da família é sempre abordado por Stein em suas palestras. “Os pais precisam entender também do mercado e dar suporte para o candidato, seja emocional ou financeiro, quando preciso”.

7. Saber ouvir “nãos”
Levar não faz parte, ajuda a crescer e ser respeitado dentro do mercado. “Isso não significa que a pessoa não serve para a profissão. E a família também precisa aprender a lidar com a situação”. Stein afirma que todas as grandes modelos receberam “nãos”. Aquelas que conseguiram evoluir com as negativas são as que vão atingir seus objetivos.

8. Sem deslumbramento
Mantenha os pés no chão e não se encante com o glamour. “Já vi muita menina talentosa e bonita acabar com a carreira porque se deslumbrou com baladas ou trocou a profissão pelos namorados”.

9. Sucesso exige tempo
Tenha paciência. Com raríssimas excessões (Thairine é uma delas), as modelos vão fazer sucesso aos 13 anos. “O trabalho leva, em média, três anos para se efetivar”, diz. A modelos só fica madura quando completa 16, se o trabalho durante o período anterior for bem feito. “Aí, sim, ela pode sair de casa. Ir morar em São Paulo ou outra cidade no mundo. Antes disso, não”.

10. Cuidar da alimentação
O mercado impõe alguns padrões como quadril por volta dos 88 ou 89 cm e é preciso ter entre 1,70 m e 1,80 m. “Por isso, é preciso cuidar da alimentação. E de forma saudável, porque ninguém vai contratar menina com cara de doente”, diz.”

Eu adorei as dicas e você, tem mais alguma dica? Compartilhe nos comentários!

Fonte: Veja São Paulo
Foto: Desfile da Victoria’s secret com as tops Gisele Bündchen, Alessandra Ambrosio e Caroline Trentini.